Artrite

Uma doença séria! Inflamação que dói. Uma dor sem cura.
Será que realmente não tem o que fazer?

Me surpreendi nos primeiros resultados em 2008 com problemas como esse. Artrite nos dedos, artrite nos joelhos, artrite no quadril. Não importa onde afeta a artrite, a dor muitas vezes leva a pessoa a questionar-se do porquê…mas a maioria sem respostas.

Uma senhora veio me procurar, por volta de seus 56 anos. Sofria de dores no joelho. Lembro de conversarmos sobre questões familiares, desvalorizações na relação com o marido e um forte sentimento de falta de apoio e solidão, mesmo casada.

Eu disse firmemente após confirmar pela técnica o motivo da sua artrite. Sua dor vinha como causa desses sentimentos de desacordo que ela havia me relatado.

Senti uma grande emoção dela vindo a tona e de repente um sorriso estampado no rosto seguido de suas palavras: Obrigada! Nunca me abri com ninguém, mas você realmente descreveu o que sentia a anos dentro de mim.

E isso foi só o começo. Após 5 anos, ela estava totalmente sem dor. Para alguns isso pode parecer milagres, para outros magia… para mim Ciência!

Eu digo sempre que basta ouvir o corpo, olhar para mente e abrir o coração. A mensagem está sempre presente para nos dizer algo.

Estudando a fundo descobri tudo isso. Já tinha ouvido falar sobre a linguagem do corpo. O corpo fala. Mas nada tão inquestionável, embasado em ciência como esta Nova Medicina Germânica. Me surpreendeu. E o que relatei sobre essa pessoa, repetiu- se muitas vezes por todos esses anos.

Descobri que o segredo da cura incurável, da dor que se tranquiliza, da emoção que se liberta está na profundidade que se alcança. O visível é apenas um reflexo. O sintoma é apenas um grito. Não adianta querer calar o grito com fita crepe ou band aid. Uma hora a fita cai! E a FICHA do “porquê sofri tanto” também…

5 Comentários


  1. Olá gostaria de um tel para contato
    Para fazer o curso medicina germânica.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *